Você faz o check-up com frequência?

Image of dental checkup being given to a woman by dentist with assistant near by

 

A análise do paciente desde que a porta é aberta. O modo como fala como sorri, como se senta. Nada escapa aos olhos e tudo isso, mais tarde, será passado para o papel, como um estudo interno que dará base ao tratamento multidisciplinar.
O primeiro passo que o especialista tenta ensinar aos pacientes é uma filosofia mais humanizada, dando enfoque para o check-up geral odontológico. “As pessoas não dão importância para o preventivo. Vão ao dentista só quando já há dor”. Do outro lado, o consultório já tem preparado diferentes linhas de conduta para gestantes, idosos, crianças.
Desde a afta ao temido câncer, são várias as doenças que afetam o sorriso e a saúde bucal e do corpo. “Bactérias acumuladas devido à má higienização bucal podem migrar e se espalhar pela corrente sanguínea, afetando, dessa forma, as artérias coronarianas responsáveis por fornecer sangue ao músculo cardíaco e causar infarto ou mesmo endocardite bacteriana, e no caso de uma gestante podendo provocar parto prematuro”, exemplifica.
No entanto, todos estes problemas podem ser evitados com um check-up preventivo. No consultório com a câmera intra-oral amplia a imagem do dente no momento dos exames. “O que o meu olho não vai enxergar, ela aumenta 60 vezes mais. O preventivo ajuda a ver o risco de cárie que atua silenciosamente e quando se percebe, já deu canal. É uma forma simples, barata e minimamente invasiva”, explica.
Outro fator importante a ser observado no Check-Up é a Respiração Bucal que promove uma função mastigatória alterada e, com isso, provoca um desenvolvimento inadequado em todo o corpo. Na respiração nasal com O2 captado pelas fossas nasais, estão indo juntas, dezenas de elementos importantes para o desenvolvimento presentes na lágrima que umidifica o ar que vai para os pulmões como IgA (imunoglobulina) e demais fatores químicos. Na falta, os pulmões podem apresentar diversos problemas do sistema respiratório como, por exemplo, bronquite de repetição.
A respiração bucal acaba se tornando um hábito em consequência da “Lei do menor esforço“ porque acaba sendo mais fácil respirar pela boca.
O tratamento adequado para Respirador Bucal com a reabilitação neuro oclusal e com a regulação das funções, proporciona a melhora nos sintomas como: estresse, insônia, sono agitado, ansiedade e depressão. Com isso pode desenvolver os segmentos de qualidade como memória, percepção, autoestima, criatividade, mais energia e perda da agitação.
Feito o check-up e com o exame radiográfico em mãos, fecha um plano de prevenção para o paciente, que vai devolver restabelecer e transformar o sorriso.

 

Dr. Plácido – Arquitetura do Sorriso

 

 

 

Assista ao vídeo que complementa o texto acima:

      

Comentários

Nenhum Comentário