Tenho gengiva inflamada. É grave? Elimine todas as dúvidas nas palavras de uma dentista

foto1Os problemas de gengiva podem ser bem perigosos. Mas a boa notícia é que para evitá-las os cuidados são bem simples

Saúde bucal também inclui gengivas e não apenas os dentes. Por isto, ao sentí-la inchada, vermelha ou com sangramento durante a escovação pode ser um sinal de inflamação, sabia? Apesar de muita gente pensar que não é nada, todos estes sintomas são um alerta para você ter mais cuidado com essa região. As prevenções para isso estão nas atitudes mais simples, como ir ao dentista regularmente e praticar os cuidados bucais em casa de forma frequente e completa.

A doença periodontal é o maior risco

Se você não escovar bem os seus dentes e incluir o fio dental na limpeza, eles podem acumular placa bacteriana, que em pouco tempo endurece e se transforma em tártaro. Com esse vilão aparece a inflamação na gengiva, a gengivite, que, se não for tratada, ocasiona a temível periodontite. “Ela acomete os tecidos de suporte do dente, podendo levar a perda do elemento dentário pela destruição do osso”, conta a periodontista Fabíola Chaves Fernandes. A profissional ainda afirma que foi encontrada estreita relação da doença com o parto prematuro, placas de ateromas e pneumonia nosocomial.

O periodontista é o melhor profissional para cuidar do problema

Se você detectar alguns sinais da inflamação na gengiva, não perca tempo e procure logo um dentista especialista no assunto. “Só um periodontista é capaz de avaliar a saúde da gengiva através de um exame específico que consiste na medição da profundidade de destruição periodontal”. Por meio dessa análise minuciosa, ele indicará o melhor tratamento para o seu caso. Não tenha medo de expor suas necessidades ao dentista, o papel dele é te fazer sorrir cada vez mais e melhor.

O autoexame e a higiene bucal são meios preventivos

A prevenção é sempre a melhor arma contra qualquer doença bucal. Não pense duas vezes na hora de realizar aquela limpeza com o fio dental, pelo menos uma vez por dia, e escovar os dentes com uma escova de cerdas macias e um creme dental capaz de deter todos as bactérias vilãs. Realizar o autoexame bucal, de seis em seis meses ou sempre que preciso, também ajuda no diagnóstico precoce de doenças como a gengivite.

Fabíola reforça a prática desse exame e atenta no que precisa ser notado. “Deve ser observado sangramento, que nunca é normal, alteração na coloração, principalmente para tons vermelhos e violáceos, edema e secreção”. Não fique alheio aos cuidados do seu universo bucal. Mantenha sempre seus dentes e gengiva saudáveis para que problemas como este não atrapalhem na hora de sorrir.

 

Fonte: Sorrisologia

      

Comentários

Nenhum Comentário