Mordida aberta: Descubra o que essa condição causa na sua saúde bucal

13899-quando-o-seu-filho-sorri-os-dentes-de-c-slider_medias-1Quando o seu filho sorri, os dentes de cima não encostam nos dentes debaixo, causando uma pequena abertura chamada de mordida aberta. Saiba sobre a causa desse problema e como tratá-lo

 

Mordida aberta: esse foi o diagnóstico que seu filho recebeu após uma consulta com o odontopediatra. É um problema caracterizado pela falta de contato de alguns dentes quando o paciente morde ou sorri. “Pode ser a ausência de toque entre os dentes da frente, chamada mordida aberta anterior, ou entre os de trás, chamada mordida aberta posterior”, explica a ortodontista Silvia Reis. Essa condição afeta aproximadamente 11% da população, a maioria criança, e pode se transformar em um problema maior na fase adulta. Descubra o que essa situação é capaz de causar à saúde bucal e saiba como tratar.

O QUE CAUSA A MORDIDA ABERTA?

Existem dois cenários de mordida aberta e várias causas possíveis para o problema. “Elas podem ser classificadas como dentárias, quando o problema é apenas nos dentes, ou esqueléticas, quando a causa está no desequilíbrio dos ossos da face”, esclarece a especialista. As mordidas abertas dentárias geralmente são reflexos de hábitos inadequados, como chupar o dedo, a chupeta, os lábios ou pelo mal posicionamento da língua. Já a esquelética tem uma causa genética, causada pelo excesso de crescimento vertical dos ossos do rosto, deixando a face muito mais comprida. “A mordida aberta desses pacientes é agravada quando o paciente respira pela boca”, atenta.

COMO ELA AFETA A SAÚDE BUCAL?

O maior problema que surge com a mordida aberta é a sobrecarga nos outros dentes que se tocam. “A eles cabe o papel de suprir a ausência de função dos dentes da região com mordida aberta”, explica a ortodontista. Esse cenário pode resultar em fraturas e desgastes do lado sobrecarregado, perda óssea e retração de gengiva, podendo levar à queda desses elementos dentários. A língua também pode prejudicar ainda mais este quadro. Mesmo não sendo causadora da mordida aberta, ela tende a ficar repousando entre os dentes quando o paciente fala ou engole. “Essa posição anormal resulta em pressões inadequadas sobre os dentes e alterações na fala”. Outro problema é o prejuízo na estética do sorriso e da face.

QUAIS SÃO AS FORMAS DE TRATAMENTO?

Para não passar por nenhum problema, é importante procurar um especialista e tratar a mordida aberta. Silvia diz que o tratamento vai depender da causa e da idade do paciente. “Em crianças com hábitos de chupar dedo, chupeta, lábio ou língua, são utilizados aparelhos que impedem esses hábitos. Normalmente, a mordida fecha entre 6 e 12 meses”. Se o hábito for uma dependência emocional, a criança, logo que colocar o aparelho, vai substituir por outro, como fazer xixi na cama ou irritação. Nesses casos o dentista pode indicar a ajuda de uma terapia psicológica.

Já os pacientes adultos podem receber o tratamento com aparelhos ortodônticos associados ao uso de elásticos ou dispositivos instalados no osso, dependendo da gravidade. A profissional lembra que em alguns casos esqueléticos graves existe a necessidade de uma cirurgia ortognática para corrigir a posição dos ossos e dentes. “Normalmente o tratamento ortodôntico deve ser associado ao fonoaudiológico para correção da postura da língua”, afirma.

PREVENIR É SEMPRE A MELHOR ESCOLHA

Todo cuidado deve começar assim que a criança nasce. Muitos bebês apresentam uma grande necessidade de sugar algum objeto e para evitar maiores problemas, é importante oferecer a opção menos arriscada: a chupeta ortodôntica. “Além de causar uma mordida aberta menor, ela é mais fácil de ser removida antes dos 5 anos de idade”, diz. Quando o seu filho completar 3 anos, estimule o desapego do acessório. “Se a criança mantém o hábito após a troca dos dentes e nos casos de mordidas abertas esqueléticas, a correção exige o tratamento ortodôntico ou cirúrgico”, conclui a especialista.
Fonte: Sorrisologia

      

Comentários

Nenhum Comentário