Dúvidas sobre Implantes Dentários

– O que são Implantes Dentários?

São parafusos de titânio colocados em áreas desdentadas e que apresentam capacidade de exercer as funções mastigatórias e funcionais de maneira semelhante aos dentes naturais. A nova geração de implantes foi descoberta pelo Prof. PI Branemark na década de 60.

– O que existe de diferente no titânio?

O titânio é um material utilizado em ortopedia há muitas décadas, este não sofre corrosão quando inserido no corpo humano e não apresenta fenômenos de rejeição imunológica, ou seja, é considerado biocompátivel com o organismo humano. O sucesso da técnica é devido a um bom conjunto de fatores e estas características do titânio, mas por si não garantiriam o sucesso do procedimento. O sucesso depende, em suma, do planejamento da técnica cirúrgica que visa principalmente evitar aquecimento do osso, por esse motivo é de extrema importância a escolha de um profissional competente e bem treinado.

– Qual a chance de um implante dar certo?

Pesquisas indicam que estes implantes apresentam taxas de sucesso superiores a 97%. Este índice de sucesso, porém, é médio, e não vale igualmente para todas as regiões da boca. Vários fatores também influenciam o índice de sucesso dos implantes, como por exemplo: qualidade óssea do paciente, tabagismo, diabetes, etc.

– Existem riscos na cirurgia de implante?

Os riscos são mínimos. A cirurgia é normalmente realizada com anestesia local e, na maioria das vezes, é menos traumática do que outros procedimentos cirúrgicos odontológicos. O pós-operatório é tranquilo e a maioria dos pacientes não relata qualquer incomodo maior. Porém, como todo procedimento cirúrgico, há um risco inerente à intervenção cirúrgica como: infecção pós-operatória, edema demasiado e alguns outros.

– Existe garantia de sucesso?

A princípio, a alta taxa de sucesso é uma boa garantia, mas nos processos biológicos sempre existe uma dose de imponderabilidade. Não há certeza absoluta de sucesso, mas devido às taxas anteriormente citadas, o desconforto da cirurgia é muito inferior ao benefício de possuir uma prótese fixa, e mesmo nos casos onde ocorre a falha, o procedimento poderá ser refeito.

– Quanto tempo dura um implante?

Com cuidado e ótima profilaxia, os implantes podem durar a vida toda. Estudos clínicos demonstram que a implantodontia é um dos mais seguros tratamentos da odontologia.

– Minha capacidade de mastigação vai melhorar após a colocação de implantes?

O implante apresenta capacidade mastigatória semelhante ao dente natural, ou seja, resultados funcionais são muito superiores aos obtidos por dentaduras e próteses removíveis.

– Se não existir osso suficiente, existem maneiras de aumentar a quantidade de osso disponível?

Sim. Na área da maxila podem ser feitas cirurgias para aumento de rebordo e/ou levantamento do seio maxilar. Os ossos para o enxerto podem ser classificados quanto a origem:
Autógeno- quando os materiais são obtidos e empregados no mesmo individuo.
Homogêno ou Alógeno- Quando são obtidos a partir de indivíduos da mesma espécie, porém geneticamente distintos.
Xenogêno- Quando os materiais são obtidos a partir de indivíduos de espécies diferentes.

– Esteticamente os implantes dentários são bons?

A estética dos implantes dentários melhorou muito nos últimos anos, porém por melhor que seja o implante e o profissional, o primeiro continua sendo uma prótese, ou seja, a substituição de dentes naturais por artificiais. Expectativa demasiada em relação à implantes é comum mas normalmente é sucedida de uma certa parcela de frustração. Em muitos casos a solução estética é apenas aceitável. O melhor raciocínio é funcional: o implante é muito superior a outros procedimentos de prótese e na ausência dos dentes é o que pode ser realizado de melhor.

– Quanto custa um tratamento com implantes?

Os valores variam de acordo com a complexidade de cada caso. Antes de iniciar o tratamento, o custo pode ser estimado pelo seu dentista. A longo prazo, os implantes podem ser considerados a solução mais econômica.

      

Comentários

Nenhum Comentário