Chupar dedo prejudica a saúde bucal? Como fazer a criança parar com esse hábito?

foto12Chupar o dedo: apesar de ser um gesto que traz calma para os bebês, pode ser bem prejudicial quando praticado com frequência, acarretando problemas na fala e respiração

 

Acompanhar os bebês realizando seus primeiros estímulos é um momento único. A partir de uma certa idade eles já começam a rir, acenar e construir hábitos, como chupar o dedo. Segundo a Odontopediatra Camila Almeida, este gesto vem por conta da amamentação. “O bebê geralmente chupa o dedo quando tem a fome saciada antes da necessidade natural de sucção. Isso acontece para eliminar a energia produzida para mamar ou mesmo como uma forma de se acalmar”.

É preciso dar atenção a este hábito

Apesar de ser um gesto bem fofo que acalma os pequenos, chupar dedo pode não ser tão bonito para a saúde bucal do seu filho. “A frequência desse hábito pode levar a alterações não só na boca como em toda face, acarretando ainda em problemas de respiração, fala, mastigação e deglutição, entre outros”, atenta.

As complicações começam de dentro para fora

Quando a criança pratica constantemente, o hábito pode atingir até mesmo todo o bloco ósseo. “Esse processo prejudica a oclusão e o correto vedamento labial, o que faz com que a língua ocupe esse espaço de modo a possibilitar a deglutição e a fala, prejudicando também a respiração que ao invés de se dar pelo nariz é feita pela boca ou por ambos”. Com isso, o paciente respira mal, fala errado, mastiga e, por consequência, digere mal os alimentos, podendo prejudicar até a sua postura. Impressionante como um hábito aparentemente inofensivo pode fazer mal de tantas formas, não é?

É necessário descobrir a causa do problema

É essencial que os pais ou responsáveis da criança investiguem a raiz de todo esse problema. Camila afirma que uma delas pode ser o tédio. “Caso se trate de uma mania causada pelo ócio, é indicado ocupar as mãos da criança propondo atividades como pintura, massinha ou coisa parecida”. Existem também as razões mais delicadas. “Nos casos em que há um componente emocional envolvido, como uma perda ou a chegada de um irmãozinho, podemos contar com a ajuda de psicólogos”.

O odontopediatra é o seu melhor amigo nessas horas

Camila afirma que os dentistas são os primeiros a ouvir as queixas dos pais sobre esse costume e as consequências provocadas por ele. “Trata-se de uma ‘batalha’ que envolve muito mais que o odontopediatra e a família. Por vezes, a ajuda de um psicólogo e de um fonoaudiólogo, bem como de um ortodontista são fundamentais para o sucesso do tratamento”.

Paciência é a alma da escovação infantil

A especialista admite que leva tempo para firmar os hábitos higiênicos na vida de uma criança, mas é importante tratar este momento com muita paciência e carinho para não causar traumas. “Com isso em mente, partimos para uma escovação mais agradável para pais e filhos e finalizamos com uma história bem divertida sobre como o fio dental consegue tirar aquela sujeirinha que a “amiga” escova não alcançou e como juntos eles são imbatíveis”, finaliza. Assim fica mais divertido, né?

Um parceiro higiênico para a criançada

Os papais podem contar com um creme dental divertido que faz a criança ter vontade de escovar os dentes todos os dias. Só ele possui aquele gostinho suave com a quantidade ideal de flúor que aumenta a taxa de remineralização do esmalte dental, protegendo os pequenos de doenças, como a cárie. Assim a higiene bucal fica muito mais divertida e saudável e, aos poucos, seu filho entende a importância de bons hábitos pelo bem do seu sorriso por toda a vida.

Fonte: Sorrisologia

      

Comentários

Nenhum Comentário