A Síndrome do Respirador Bucal

Todos os demais sistemas dependem de um funcionamento adequado do Sistema Estomatognático (SE) para manter a homeostáse de todo o corpo humano. A função prioritária do SE está selacionada a manutenção de 8 motivações biológicas. Este sistema tem participação direta nas funções destinadas a saciar essas motivações biológicas.

O Respirador Bucal (RB) tem toda essa função alterada e, com isso, provoca um desenvolvimento inadequado. Na criança com respiração nasal com O2 captado pelas fossas nasais, estão indo juntas, dezenas de elementos importantes para o desenvolvimento dela presentes na lágrima que umidifica o ar que vai para os pulmões como IgA (imunoglobulina) e demais fatores químicos. Na falta, os pulmões podem apresentar diversos problemas do sistema respiratório como, por exemplo, bronquite de repetição.

Um sistema prejudicado com alterações na respiração é o Sistema digestivo. No R.B começa com irritação crônica da área da orofaringe pela passagem do ar frio e sujo. Como essa área é comandada pelo nervo Vago, esse comanda as frequências respiratórias, cardíacas e gástricas. Essa irritação do nervo Vago promove bronco dilatação, um aumento do peristaltismo esofágico e gástrico por ação parassimpática e como consequência os centros cerebrais enviam sinais para a produção de ácidos gástricos para fazer a digestão de um conteúdo gástrico que não existe. No estômago os ácidos encontram saliva, lágrima (escorre) e ar ingerido na respiração bucal, e terão uma ação deletéria sobre a mucosa gástrica. Com o passar do tempo, persistindo o R.B, poderá apresentar um quadro de pirose, esofagite, gastrite, hérnia de hiato, regurgitação, refluxo e por fim úlceras.

Outros fatores ocorrem com o R.B, porque o mesmo tem deficiência na mastigação. O paciente irá ingerir pedaços inteiros de carne vermelhas e vegetais que não serão digeridos corretamente pelo tamanho excessivo, e não sendo aproveitado pelo intestino serão eliminados nas fezes.

A alimentação do R.B passa a ser praticamente de produtos pré digeridos, tais como: fast-food, alimentos congelados , pastosos e líquidos, sem a ingestão de vegetais, fibras e água.

Com esse tipo de alimentação os intestinos não trabalham adequadamente e passa a ter problemas. O principal deles é a formação de radicais livres que, embora seja um subproduto da ação intestinal a partir do oxigênio que respiramos, ele causa mais problemas quando, em excesso no corpo humano, o local de maior concentração de radicais livres é o intestino.

Outro fator é o caso da formação de úlceras, que está ligada diretamente à quantidade de bactéria anaeróbica Helicobacter Pilori, comum em indivíduo R.B. O mesmo entra em um processo “de círculo vicioso”, no qual ele toma antibiótico para H Pilori, mas a bactéria continua a ser produzida pela respiração bucal e o paciente toma novamente o antibiótico.

O indivíduo que respira pela boca e mastiga unilateralmente, seu sistema endócrino esta totalmente desregulado porque o cérebro, a hipófise e outras glândulas do sistema são altamente dependentes de oxigênio. Devido à respiração bucal, todo sistema neuroendócrino do paciente estará deficiente. Para equalizar todo esse sistema, teremos que reverter a respiração bucal para nasal e dar condições para existir a mastigação bilateral.

Quando o paciente mastiga unilateralmente, há compressão de um dos lados e estiramento do outro de glândulas supra-renais, do timo e do pâncreas. No sexo feminino, haverá problemas no ciclo menstrual; inclusive nas meninas respiradoras bucais, podem ter a menarca tardia e depois os ciclos menstruais passam a ser irregulares.

Ao mastigar unilateralmente pode também ter a compressão da vesícula biliar, apêndice com o comprometimento da circulação sanguínea e provável prejuízo a saúde. No caso do sexo feminino, também devido à mastigação unilateral, é comum ocorrer compressão de um lado e estiramento do outro lado, favorecendo a formação e ovários policísticos.

Do lado da mastigação unilateral, a cintura pélvica estará “levantada” com giro para anterior e fazendo com que fique com a crista ilíaca do mesmo lado mais alta, para frente e dolorida ao toque ou palpação das inserções.

A respiração deve ser feita exclusivamente pelo nariz, tanto a inspiração como a expiração. É a expiração que limpa e proporciona aeração e o desenvolvimento adequado de todas as áreas pneumatizadas da cabeça. Portanto, R.B tem todas essas áreas sem limpeza que podem acabar sendo acometidas das mais diversas doenças, tais como: sinusite, otite, mastoidite, assim como também, hipertrofia de todas as estruturas do sistema linfóide, que inclui as tonsilas palatinas e faríngea, os gânglios submandibulares e do pescoço.

Muitos R.B são diagnosticados como portadores de THDA ou DDA. Essas crianças desenvolvem insônia, sono agitado, enurese noturna e pesadelos que evoluem para terror noturno. Quando em vigília, está sempre em movimento para captar O2, o que é confundido com hiperatividade, quando elas são obrigadas a ficarem sentadas, por exemplo, na escola elas se abstraem a ponto de ficar sonolentas e preguiçosas, devido a hipóxia cerebral.

Para os Cardiologistas, a mastigação viciosa unilateral só é sintomática quando o paciente mastiga do lado esquerdo. Porque, quando isso ocorre, a hipertrofia e o encurtamento dos músculos supra e infra-hióideos e das aponeuroses, do lado esquerdo, diminuem a área do mediastino e comprimem a área cardíaca, que é prejudicial ao funcionamento do coração. Também a tração perióstea da área do manúbrio do esterno pelo musculo esternocleidomastóideo hipertrofiado torna-se mais dolorosa e, no paciente adulto, obeso e estressado pode ser confundido com Angina.

No R.B começa com irritação crônica da área da orofaringe pela passagem do ar frio e sujo. Como dito anteriormente essa área é comandada pelo nervo Vago, esse comanda as frequências respiratórias, cardíacas e gástricas. A atividade do vago causará bradicardia, que terá de ser compensada por aumento da frequência respiratória. E essas atividades ficam antagonistas na hora do coração enviar sangue venoso para os pulmões oxigenarem. A pressão intrapulmonar estará muito alta, e o coração terá de competir com ela e, com correr do tempo, o coração terminará dilatado.

A respiração bucal acaba se tornando um hábito em consequência da “Lei do menor esforço” porque acaba sendo mais fácil respirar pela boca. Com o tratamento adequado, restabelece a função respiratória nasal do Respirador Bucal através da Reabilitação neuro oclusal. A reabilitação é feita com aparelhos preconizados e a regulação das funções estará revertendo a “Lei do menor esforço” e, com isso, proporcionará a melhora nos sintomas citados acima, bem como a melhora no estresse, insônia, sono agitado, ansiedade e depressão. Com isso pode desenvolver os segmentos de qualidade como memória, percepção, autoestima, criatividade, mais energia e perda da agitação.

Dr Plácido

      

Comentários

Nenhum Comentário